Uma mensagem do ex-detido Bill Baker

[Blogger convidado Bill Baker]

Olá,

Eu sou William Baker, ex-presidiário de Alcatraz. Agora que voltei à reta e estreita, volto agora e converso com os visitantes, respondendo perguntas sobre meus anos de prisão, assinando autógrafos, tirando fotos e interagindo com os visitantes da Ilha. Não posso evitar que a história me transformasse numa estrela de rock. Eu escrevi um livro intitulado Alcatraz 1259, que assino e promovo na Ilha três ou quatro dias por semana.
Enquanto eu respondo a muitas perguntas, a mais frequente é "Não é estranho voltar à prisão onde você cumpriu pena?"

Bill Baker aos 23 anos de idade
Bill Baker aos 23 anos de idade

My short answer to that is “Yes but they made me an offer I couldn’t refuse.” And, with a grin I add “So I’m very happy.” And they nod and laugh and go on the next question.

A minha breve resposta é honesta e verdadeira e não pretendia ser enganadora. A longa resposta é mais complicada e requer muita explicação sobre a natureza e o caráter de um Alcatraz condenado. Sabe, a maioria de nós veio de outras prisões, transferida para Alcatraz por quebrar regras, regras sérias.
Eu vim aqui porque estava a fugir de outras prisões. Essa é a regra mais séria de todas, aos olhos deles. Mais sério, até, do que assassinato. Então, éramos um bando de condenados de cabeça dura antes de chegarmos a Alcatraz. Já tínhamos estado no buraco muitas vezes, quebramos muitas regras. Estávamos habituados a este tipo de vida antes de chegarmos aqui. Então, nós podíamos tratar deste lugar.

Pôster do blog Broadway para Bill Baker
Broadway em Alcatraz

Eu não estou a dizer Alcatraz era um bom lugar. Só estou a dizer que éramos uns rapazes maus. Conseguimos lidar com isso e conseguimos. Caminhamos pelo pátio rindo e jogando, falando sobre roubar bancos quando saímos; apostamos em jogos de bola; jogamos cartas; jogamos bola; e fizemos um pouco de cerveja caseira de vez em quando e ficamos bêbados.
Nós vivíamos aqui.
Não foi uma grande vida. Estávamos fechados numa cela seis por nove a maior parte do tempo. Nós magoamo-nos. E pode estar certo de que fomos devidamente castigados. Mas, nós lidámos com isso. E nós sobrevivemos. Pois onde quer que haja vida, o espírito humano sempre prevalecerá.
Eu não saí. Alcatraz com cicatrizes ou pesadelos. Então, eu não trouxe nada comigo quando voltei mais tarde na vida.
A pergunta era "Não é estranho voltar aqui depois de ter cumprido pena aqui", o que significa "Não te incomoda voltar depois do que passaste?"
Portanto, a resposta longa também é honesta e verdadeira, mas é longa, e estou tentado a acrescentar: "E, não, não me incomoda". Os guardas estão todos mortos, eu sobrevivi, por isso este é o meu território agora."

-William G. Baker AZ-1259